Pesquisadoras do Observatório das Metrópoles publicam artigo sobre direito à água e esgotamento sanitário no contexto de pandemia

Publicado em 04 maio 2020

Escrito por Equipe IAS

Tags:

Observatório das Metrópoles - Foto Natinho Rodrigues

Suyá Quintslr, Ana Lúcia Britto e Mariana Dias assinam texto que recupera historicamente os antecedentes de modelos de saneamento e critérios de priorização de recursos públicos para o setor. “O Brasil é signatário das resoluções da ONU que reconhecem o direito à água e ao saneamento. Entretanto, existem ainda mais de 12 milhões de pessoas sem acesso à água e cerca de 18 milhões sem esgoto no país (Brasil, 2013). Quando se observa a realidade dos assentamentos precários, onde parte das pessoas vive em condições de extrema pobreza, verifica-se que esse direito só poderá se viabilizar mediante a garantia do acesso a um volume básico de água gratuito para os moradores”, diz o texto. Leia a íntegra aqui.